Uma questão de personalidade

Lembro-me claramente quando estreou o filme “Entrevista com o Vampiro”. Foi a loucura de todas as adolescentes aquele belo espécime de cabelos louros compridos, olhos azuis e feições vincadas e masculinas. Era imagens de revistas coladas, minuciosamente, nas capas dos cadernos, era posters gigantes nas paredes do quarto, era a Bravo e a Ragazza nas mãos de todos as adolescentes minimamente na moda. Logo a seguir veio o “Lendas de Paixão” e aí então foi o êxtase.

E eu, ao contrário de meio mundo, teimei que não. O Brad Pitt não era assim tão giro. Aliás, para mim rapazes giros tinham de ser morenos e olhos castanhos.

E como este exemplo, existem outros. No tempo em que a moda eram as calças da Uniform rasgadas, eu jurava que jamais vestiria umas. Quando estar na moda e ser in significava ir assistir aos treinos dos jogadores de futebol, eu abominava Sá Pintos e Rui Pintos e outros Pintos.

Comprei uns All Star rosa choque quando a tara já tinha passado, e porque realmente eu adorava aquilo. Não tive a loucura das Monte Campo ou dos Beeps – sim, a minha adolescência foi há séculos atrás - e lá porque todos faziam as mesmas coisas e tinham os mesmos gostos eu achava que não existia razão nenhuma para ser igual a todos eles. E não era. E continuo a não ser.

Faço e sempre fiz aquilo que quero e que sinto que devo fazer e não o que os outros fazem, simplesmente porque todos o fazem. Tenho gostos muito próprios, vontades muitos particulares e acima de tudo a minha personalidade. Seja ela boa ou má, gostem os outros ou não gostem, é a minha personalidade.

E, portanto, quem por cá passa poderá constatar isso mesmo. Aqui não se fala do que deve ser falado, não se imita, não se opina acerca dos assuntos do momento e muito menos se anda na moda.

15 Diabruras:

Chokkie disse...

E as pessoas com uma personalidade própria são as mais interessantes, trazem algo de novo à nossa vida porque destoam (no bom sentido) da maranha. Conhecemos alguém genuíno, com gostos e vontades próprias e com uma boa dose de auto-estima que é do mais saudável mentalmente que se pode ter. O importante é sermos diferentes e iguais a nós próprios. Bjos Louise

Vera, a Loira disse...

Louise,

Isso é que é brilhante, é fazer aquilo que realmente gostamos porque gostamos e não porque os outros também gostam.

E aquela dos morenos, eu era exactamente igual a ti.

Beijo.

Vontade de disse...

É isso que te permite diferenciar... e fazes tu muito bem. Ser carneirinho não é bonito.

Osga disse...

Jesus....As Uniform e Monte Campo! O que te foste lembrar :D

MRPereira disse...

Compartilho de algumas semelhanças com a tua adolescência...

- Quando os All-Star estavam na moda, andava de ténis da Nike.
- Quando a moda eram os ténis da Redley, eu andava com ténis da Reef.
- Quando a moda eram as mochilas da Monte Campo, eu andava com uma da Energie que ainda hoje tenho guardada no sótão dos meus pais!
- Quando a moda eram as calças com a bainha levantada, boas para ir à ameijoa, eu andava com calças compridas a tapar metade dos ténis/sapatos.
- Quando a moda eram os bonés, eu andava de panamá.
- Quando a moda eram os ténis da New Balace Verde-Esparregado, eu andava com botas de Basket.
- Quando a moda mandava andar com ténis da Nike, eu usava Adidas Superstar (ainda hoje os tenho...)
- Quando as Doc Martens estavam na moda, eu preferia as botas Panama Jack cor de camurça (que agora andam tão na moda novamente...)
- Quando o pessoal ia de mochila para a faculdade, eu levava uma mala a tiracolo!
- E agora, que a moda das tatuagens pegou, eu tenho uma com 6 anos... E vou fazer outra porque a isso me sinto obrigado!

Kiss

Louise disse...

Chokkie, concordo com o que dizes.

Vera, ainda assim há pessoas que têm medo de ser elas próprias. É uma pena.

Vontade de, precisamente isso. E o que não falta por aí são precisamente carneirinhos.

Osga, finalmente alguém que se lembra das Uniform :P

Ulisses disse...

Pá,

Onde é que eu assino?

:)

vírgula disse...

temos de ser nós próprios, não nos vamos vestir de certa maneira só porque está na moda..

Purple disse...

A tua essência é única e é só isso que interessa.

Sermos mais do mesmo é fácil e triste, sermos nós próprios é muito difícil mas reconfortante.

Beijinhus

Sofia disse...

Por isso é que eu gosto tanto de ti!

Jaime Piedade Valente disse...

Poema de Daniel Maia-Pinto Rodrigues:

De certo modo também eu, em tempos
fui infiel ao príncipe Charles.

Olhos Dourados disse...

E bem! Eu também sou assim!

Martini Bianco disse...

A época do "Entrevista com o Vampiro" também faz-me lembrar alguns "idolos" da altura. No meu caso era mais a Alicia Silverstone, a Sharon Stone e algumas bandas como Nirvana ou Guns. Nessa altura dominavam e quando me lembro disso também penso que os meus tempos teen são cada vez mais uma memória distante...

graziela disse...

E por isso, tem aqui mais uma seguidora! :)

Prazer em conhecê-la.

Miss Murder disse...

Assim é que deviamos ser todos, odeio a carneirada que faz só porque os outros já fizeram!!

beijinhos

Enviar um comentário

Agradeço desde já tudo* aquilo que o diabo dentro de ti possa ter para dizer...

*excepto tudo aquilo que o diabo dentro de mim não concordar

Related Posts with Thumbnails