Adorável

Recentemente apercebi-me de algo que, apesar de ser demasiado óbvio, é uma técnica infalível e subtil para ganharmos a empatia dos que nos rodeiam.
Apercebi-me disto observando atentamente uma pessoa que me é conhecida. A pessoa em questão é daquelas pessoas que, desde o primeiro encontro, é impossível não gostar. É daquelas pessoas que sabem cair nas graças de todos aqueles que de si se aproximem – ou quase todos.

E talvez por essa razão eu tenha dado por mim a observar o comportamento desta pessoa em particular, de forma a tentar perceber o porquê de isto acontecer.
Apercebi-me, ao final de algum tempo, de qual a principal razão do sucesso da conquista da afeição de forma tão rápida e efectiva dos demais.

E aqui é que reside a beleza da coisa. Não é algo demasiado elaborado, mas antes algo que todos constatarão o quão óbvio na verdade é.
A técnica a que me refiro é a de se chamar, toda e qualquer pessoa, independentemente do tipo e grau de relação com a pessoa em questão, pelo nome próprio em toda e qualquer oportunidade que se tenha.

Confesso que dei por mim algo estupefacta perante a genialidade da coisa. E isto é tão sublime que praticamente ninguém se apercebe de que, na verdade, está a ser alvo de uma espécie de manipulação.
E, após vários exemplos e várias constatações, posso afirmar com toda a certeza que esta é, efectivamente, uma técnica infalível. É, basicamente, como aquelas mensagens escondidas num qualquer cd de música que apenas o nosso subconsciente consegue detectar e que nos manipulam a cometer homicídios ou suicídios em massa.

Exagerada? Sim, talvez um pouco. Mas definitivamente correcta na constatação. Experimentem e verão.

19 Diabruras:

Martini Bianco disse...

hmmm... nunca me tinha apercebido, mas deve ser capaz de funcionar. Eu no geral, nao gosto que me chamem pelo nome com muita frequência, por vezes pode parecer abusivo, mas como te disse, é capaz de funcionar.

La Boheme disse...

Realmente é mesmo uma excelente técnica para se criar empatia e nos ligarmos de certo modo à pessoa. É o que fazem os psicoterapeutas ou por exemplo os socorristas que logo à partida perguntam o nome para daí continuar a chamar a pessoa pelo mesmo. É ir de encontro à sua identidade, mostrar que sabemos quem é, que não nos é indiferente nem mais uma. Também muito usada na área comercial. Boa semana Louise:)

Louise disse...

La Boheme,
Pois eu bem me queria parecer que havia aqui uma qualquer vertente comercial :P

Martini,
Compreendo exactamente o que queres dizer com isso. Eu sinto o mesmo, especialmente desde que me apercebi da técnica.

Nokas disse...

Nunca me tinha apercebido disso, mas é capaz de ser verdade...Chama a atenção!

Vera, a Loira disse...

Ok Louise, vou experimentar, deve ser de facto uma boa técnica.

Beijinho Louise.

Sofia disse...

Eu tenho a sorte de, apesar de ser despistada, ser boa com nomes. Dificilmente esqueço um. E sim, também uso essa técnica e detesto que se esqueçam do meu nome:))))
Beijinhos, Louise.

Rita G. disse...

É verdade, mostra que nos interessamos o suficiente por alguém porque a chgamamos pelo nome e cria-se de facto mais intimidade. bj:)

Louise disse...

Então e pergunto eu: como é que vocês se sentem quando o fazem com vocês, sabendo de antemão que nada mais é do que uma técnica??

Queen of Hearts disse...

Lou, eu sou das pessoas que gostam de chamar toda a gente pelo nome. :) Seja pelo nome próprio quando as circunstâncias o permitem, seja por Sr. ou D. fulano/a quando a pessoa é mais velha ou me merece alguma deferência. Bom, não em toda e qualquer oportunidade, mas quando vem a propósito. Não o faço por técnica, digamos, mas porque realmente gosto e acho uma atenção para com quem estamos a falar. E a realidade é que facilmente crio empatia com as pessoas! :)
Não sabia que havia pessoas que o faziam como técnica de manipulação... Às tantas é ingenuidade minha, mas para mim é mesmo uma questão de atenção. Mas vou passar a observar os outros hehehe... e a mim mesma também! ;)

Louise disse...

Queen,
Digamos que, como na grande maioria das nossas características, aquilo que nos é natural é sempre bem vindo.
Agora o que é algo forçado, provavelmente com segundas intenções, é que poderá já não ser tão bem vindo.

A Minha Essência disse...

Já ficou na retina! :)

pink poison disse...

Conheço a técnica, é, sem dúvida infalível... Quem ma indicou foi numa conversa de etor sexual. Mas o nome, o nosso nome, esse é muito importante...

Roxanne disse...

nao tinha pensado nisso! mas de facto é a verdade, pura e simples. mas nao sei se a ideia me agrada, completamente!

Patife disse...

O ego é uma coisa fantástica, não é? ;)

Louise disse...

Oh Patife,
Agora é que tu disseste tudo!!!
É impressionante ver como as pessoas automaticamente se rendem quando lhes 'acariciam' os pontos fracos.

Rei Lagarto III disse...

É das primeiras coisas que se ensina aos vendedores...

Mariza (P.Gira) disse...

Esta técnica é usada em comunicação, porque é uma forma de captar a atenção do interlocutor, mas tem que ser utilizada com conta, peso e medida. Basta veres como reagimos quando ouvimos alguém gritar o nosso nome no meio de uma multidão. Embora possamos estar numa situação em que temos a certeza (ou não estamos à espera) que se dirijam a nós, acabamos quase sempre por virar a nossa atenção para saber quem é que partilha algo tão importante connosco como o nome.

Masquediabo disse...

Sim. Resulta e é discreta.

Caia disse...

Está complicado! Sou tão despistada para nomes... lol

Enviar um comentário

Agradeço desde já tudo* aquilo que o diabo dentro de ti possa ter para dizer...

*excepto tudo aquilo que o diabo dentro de mim não concordar

Related Posts with Thumbnails