Há coisas que não se negam...

Talvez devido ao número, cada vez mais crescente, de pedintes com quem nos cruzamos no dia a dia – na cidade pelo menos – acabamos por ganhar uma certa resistência e frieza em relação a isso. Eu pelo menos, muito raramente, dou dinheiro a algum deles. Eu compreendo que a situação está cada vez pior para os mais desfavorecidos, que o desemprego é cada vez maior (se bem que este é um tema muito particular no meu entender), que está tudo cada vez mais caro e etc.Mas também acho que houve uma banalização do acto de pedir. E são tantas pessoas a pedirem, de tantas idades, etnias e géneros que acabamos por ficar aturdidos face a tal situação.
Acabamos por nos questionar se realmente a pessoa que está a pedir é ou não sincera na sua história, tem ou não problemas efectivos ou prefere andar a pedir do que procurar um emprego, se estaremos ou não a ser enganados.

Agora, há algo que eu simplesmente não consigo recusar: Comida. Ontem alguém me pediu um bolo, aproveitando a deixa de eu estar a colocar o ticket do parquímetro, e apesar de não ter dinheiro comigo acabei por me dirigir ao MB mais próximo, entrei numa pastelaria e comprei-lhe 2 sandes grandes. Entreguei-lhe e a pessoa ainda me pediu fraldas para os filhos pequenos.
Aqui confesso que fiquei na dúvida. Teria a pessoa aludido ao bolo (comida) com o intuito de me sensibilizar e depois recorrido às fraldas para que lhe desse dinheiro efectivo?

Independentemente disso, ofereci-lhe comida e não me arrependi por um minuto que fosse. Afinal, não raras vezes, dou dinheiro mal gasto: a arrumadores, como gorjeta mesmo quando não gosto do serviço, em impostos nos quais claramente estou a ser roubada. Parece-me muito mais válido gastar meia dúzia de euros em comida para dar a alguém. Porque comida, água e carinho não se negam seja a quem for.

13 Diabruras:

Martini Bianco disse...

Boa atitude essa, mas eu já não a teria. Os pedintes massificaram-se e tornaram-se cada vez mais chatos, para já nem falar nos crava-cigarros ou aqueles pedintes do metro, que já quase parecem "prata da casa" do transporte. Nesses momentos phones bem colocados e é que nem os ouço.

anf disse...

Eu também fico angustiada e desconfiada quando vejo, mas comida seria encapaz de negar,
fizeste bem, e sim não te arrependas a tua intenção é que conta.
bjo

Caia disse...

Chega a um ponto que já não se distingue!
Todos os dias me entram pessoas aqui na loja a pedir... se fosse a dar a todos, por pouco que seja, mais valia fechar a porta. É tão complicado :(

Crise disse...

Eu costumava dar moedinhas a alguns ceguinhos que via no Metro , mas um dia estava num café no Marquês de Pombal , à espera do meu café e eis que chega a ceguinha a quem eu também dava a tal moeda e pede a "habitual imperial " ao empregado do café que já a conhecia , eu fiquei estupefacta , e pensei então é para este tipo de coisas que andam a pedir ?! nunca mais lhes dei dinheiro , comida posso dar , mas dinheiro não .

Manuela disse...

Louise, eu também fico com muitas dúvidas em relação a dar dinheiro a pessoas ou a instituições que fazem peditórios na rua e de que eu nunca ouvi falar.
Comida, nunca me pediram. Não sei o que faria, mas deixaste-me a pensar.
Beijinhos

Queen of Hearts disse...

Eu sou um bocado sensível a quem pede, especialmente se as pessoas tiverem deficiências físicas que me pareça que as desqualifique no mercado de trabalho. Mas à primeira em que me aperceba que o meu dinheirinho suado vai ser mal gasto, não volto a dar àquela pessoa. Vai-se criando anticorpos em relação aos pedintes, porque na verdade é algo que se massificou, e muitas vezes o dinheiro é para os vícios.
Mas realmente comida, água e carinho são inegáveis, concordo inteiramente.

Louise disse...

Martini Bianco,
Tens razão nisso tudo que dizes... mas eu mantenho que comida não se nega.

anf,
Nem se trata da intenção. Trata-se de pelo menos ontem ela ter tido alguma coisa que comer.

Caia,
É um pouco isso, não podemos e nem devemos dar a todos - senão a massificação seria bem maior. Mas quando nos pedem comida e não dinheiro é muito complicado recusar.

Crise,
Pois. É certo e sabido que o justo paga pelo pecador. Mas efectivamente os do metro há qualquer coisa ali que não me parece bem. E o pior é que a maioria deles - que fazem parte de uma associação - são de facto muito mal educados. Esquecem-se que as pessoas a quem pedem e que andam de metro são pessoas que também fazem sacrificios e que muitas vezes trabalham arduamente por um ordenado que não dá para metade do mês.

Manuela,
Instituições é daquelas coisas então de que todos duvidamos.É que esse dinheiro nunca sabemos para onde vai.

Queen of Hearts,
As deficiências são de facto algo muito limitador na vida seja de quem for. O facto é que às tantas não sabemos mesmo o que fazer... dar ou não dar?!

Poetic GIRL disse...

Eu sou sincera dinheiro nunca dou, pelas razões que mencionas-te. Mas não me importo nada de comprar algo para comerem... afinal se fosse o contrário gostariamos que nos dessem a mão também, bjs

Rafeiro Perfumado disse...

Perto do local onde vou almoçar costumava estar uma velhota encostada à montra do Pingo Doce. Por me fazer lembrar a minha avó, uma vez acerquei-me dela para lhe perguntar o que necessitava, que eu entraria e compraria. Respondeu-me que preferia dinheiro, pois custava-lhe levar as coisas para casa, no Barreiro. Escusado será dizer que lhe virei as costas...

Sofia disse...

É essa a atitude... o pior é quando são crianças a pedir ou a vender pensos...É tão difícil dizer não...
BJ

Nokas disse...

Eu sou um bocadinho fria nesse tipo de situação...e porque já presenciei cenas lamentáveis dessas pessoas. Mas claro que há pessoas com necessidades, e no que toca a comida não sou capaz de negar...

Roxanne disse...

fizeste bem!
um miudo na estação ja me pediu o mesmo e eu comprei lhe uma sandes, mas depois tentou me assaltar e aí perdeu a piada!

Vera, a Loira disse...

Também já dei comida, depois fui embora e chorei sozinha como uma desalmada com pena das pessoas que não têm o que comer. Sinceramente, não sei se era o caso efectivamente ou não, mas fiquei mesmo triste.

Enviar um comentário

Agradeço desde já tudo* aquilo que o diabo dentro de ti possa ter para dizer...

*excepto tudo aquilo que o diabo dentro de mim não concordar

Related Posts with Thumbnails