Profunda Tristeza


Fiquei deveras chocada com isto.
E porquê?
Não apenas pela brutalidade do acto em si, não apenas pelo facto de alguém ser capaz de fazer algo assim e sair dali como se nada fosse, não apenas pela frieza e ignorância das pessoas que nada fizeram e optaram por seguir a sua vidinha como se nada fosse.
Fiquei chocada pela constatação óbvia de que todos nós estamos, diariamente, sujeitos a morrer de forma estúpida e inconsequente.
Eu tenho o defeito de reclamar – como reclamou a infeliz enfermeira – perante atitudes que considero incorrectas. Sou incapaz de me calar porque acredito que não me devo calar.
Claro que, perante uma situação destas, qualquer um se questiona se realmente valerá a pena. Porque na verdade simplesmente não sabemos que género de pessoa está do outro lado.
Hoje as pessoas não medem os seus actos, hoje não existe qualquer tipo de respeito pelo próximo ou pela condição mais fraca de alguém. Hoje é mais importante descarregarmos as nossas frustrações num qualquer desconhecido do que aceitarmos que errámos e pedirmos desculpa.

E é assim. É a realidade a que estamos sujeitos. Qualquer um, do nada, pode dar-nos um soco – ainda que sem consciência completa das verdadeiras implicações e consequências que isso possa ter – e terminar, ali, com a nossa frágil vida.

Estou deveras chocada.

15 Diabruras:

Nokas disse...

Vi ontem esse vídeo e fiquei impressionada, como é possível haver gente desta...

anouc disse...

Chocou-me mais a indiferença de quem passava do que propriamente a brutalidade do acto em si.
Podia ter sido eu. Podia ter sido um filho meu. E as pessoas não param. É incrível. As pessoas simplesmente não pararam. Que mundo este.

Vera, a Loira disse...

Chocada é mesmo o termo certo, aquelas imagens, não só da pessoa em si, como de todas as outras a seguir a sua vida indiferentes. Todos dizem querer viver num mundo melhor, mas ninguém faz nada por isso.

Vontade de disse...

Chocada com a agressão e com a falta de reacção de quem passava...

Martini Bianco disse...

Sem querer ter um comentário populista eu farto-me de dizer no meu espaço que a culpa de atitudes destas tem haver com o que obrigam as pessoas a ser hoje em dia - máquinas - a trabalhar em todas as horas, a andar nos mesmos lugares à mesma hora, em filas, em trânsitos, etc, e tudo isso vai degradando a sanidade mental das pessoas nestas selvas urbanas, mudando assim as atitudes e os valores e assim acaba-se o respeito e a dignidade pelo próximo.

Tenho a certeza que ele não teve intenção de matá-la e o acto irreflectido dele foi antecedido por dois actos também irreflectidos da parte dela. E deu nisto. O mais chocante ainda foi ver a indiferença de quem passava ali. Imagina que ela tinha a mão cheia de notas? Seriam abutres à volta dela. A magnífica sociedade que temos hoje. Como dizes e com muita razão "porque na verdade simplesmente não sabemos que género de pessoa está do outro lado".

É por estas e por outras que defendo a educação cívica nas escolas e especialmente nas universidades, por que pelo que vejo hoje em dia os adultos estão pior que as crianças.

Louise disse...

Martini,
Essa foi um dos meus primeiros pensamentos "De certeza que ele não tinha a intenção de matá-la".
Mas depois imaginei que fosse a minha mãe, ou alguém que me é querido... e nesse caso não conseguiria perdoar. O facto é que ele fê-lo e ainda tentou fugir.
O facto é que hoje em dia fazem-se demasidas coisas "sem se ter intenção de" e há impunidade... isso só leva cada vez mais ao desrespeito pelo próximo.

Mas concordo quando referes que realmente a sociedade nos está a tornar máquinas desprovidas de valores e principios.

Roxanne disse...

a maior cobardia foi de todas aquelas pessoas que se cruzaram com a senhora deitada no chão e a ignoraram!

crise disse...

Também a mim me chocou , por tudo o que acabas-te de escrever e descrever tão bem no teu texto , e porque também me choca no dia a dia , porque ando de transportes publicos e noto que cada vez mais as pessoas estão mais desumanas e incapazes de ajudar e respeitar o próximo , outro dia uma senhora caiu desamparada aos meus pés , o Metro estava cheio de pessoas , supostamente seres humanos e apenas eu e outro senhor ajudamos aquela senhora , eu tive que gritar , para mais alguém a nos ajudar a põ-la de pé , como é possível tanata falta de sensibilidade , porquê ? porque estamos cada vez mais a ficar indeferentes ao sofrimento alheio ? no que nos estamos a tornar , seres insensiveis e indeferentes , desumanos , não é isto que eu quero para a minha filha .

Purple disse...

Estou toda arrepiada, confesso que ainda não tinha visto este vídeo.

Excluindo a atitude do rapaz e a negligência, confesso que não consigo interiorizar o desprezo total das pessoas. Às vezes é o rápido auxílio que define se a pessoa vive ou morre.

Lembro-me de à uns anos, num autocarro em Lisboa, e sem nada prever, um individuo enorme e aparentemente drogado se ter levantado para nos agredir. Enquanto ele afirmava que ia matar os meus dois amigos, eu consegui escapar-me com os os bens pessoais de todos por um cantinho. Pedi ajuda, mas ninguém...ninguém mesmo mostrou qualquer interesse em nos ajudar.
De todas as possibilidades, acabamos com um nariz a sangrar, muitas chapadas e muitos nervos. Fomos escoltados até ao comboio enquanto aquela besta foi presa.

O medo falou mais alto e daí em diante passei a ir de carro. Se resolveu o problema? Não sei, mas a nossa vida é demasiado valiosa para ignorar estas situações.

Beiju

Manuela disse...

Louise, quando há uns tempos atrás ocorreram os assaltos nos comboios, por parte de grupos de jovens, vi com os meus olhos, muita gente a levantar-se para mudar de carruagem, quando o grupo resolveu "embirrar" com uma senhora, da minha idade. Só dois homens se levantaram e intervieram, enquanto o comboio não chegou à estação seguinte...está tudo dito.

Poetic GIRL disse...

A vida é mesmo uma fragilidade, acho que nem podemos dizer se será mesmo nossa, a qualquer momento nos é assim roubada a troco de nada... é triste! bjs

RC disse...

É por isto que costumo dizer, embora sem o mínimo de sentido mas por alguma revolta sentida “quanto mais conheço as pessoas, mais gosto dos animais”.
É impossível que a nossa sociedade dure muitas décadas desta forma. Nós autodestruímo-nos diariamente, criamos o melhor e o pior, ou seja, descobrimos a cura para certos tipos de doenças, criadas pela Mãe Natureza de forma a auto controlar a população ao cimo da terra, mas depois cometemos barbaridades destas…
Isto também me leva a dizer que nos dias em que vivemos é perfeitamente normal. E normal porque? Porque não existe justiça, porque existe sempre alguém que vem defender o criminoso, alguém que arranja mil e uma justificações para defender quem comete crimes, sejam eles de que ordens forem.
Isto não pode continuar, o bom não pode ter o mesmo valor que mau.
Ou estaremos à beira do colapso. De que adianta o arrependimento de quem comete barbaridades destas? Isso não evitou em nada o acto que cometeu.
Em quanto quem comete erros não for severamente condenado, isto irá progredir para o abismo a um ritmo alucinante.

clara disse...

nem sei o que mais me choca nesta história toda!
é surreal...

Johnny disse...

Gestos irreflectidos com consequências devastadoras... concordo que a reacção das pessoas que passavam ao lado é terrível e diz muito sobre as sociedades que estamos a criar.

eueasminhascircunstancias disse...

Infelizmente, essa indiferença, ainda mais agressiva e chocante do que o acto violento propriamente dito, é a manifestação nua e crua da natureza humana. Tenho para mim que o homem, no seu estado puro, não trabalhado, moldado pela sociedade, age dessa forma e cada fez mais me convenço disso ao deparar-me com estas e outras notícias. :(

Enviar um comentário

Agradeço desde já tudo* aquilo que o diabo dentro de ti possa ter para dizer...

*excepto tudo aquilo que o diabo dentro de mim não concordar

Related Posts with Thumbnails