Tarde demais

Mais do mesmo, sempre mais do mesmo. Mais de muito e mais de nada. Mais um café, mais um folhear do jornal, mais um percurso de pára arranca até ao trabalho.
Mais das mesmas caras e dos cumprimentos de sempre. Mais reuniões, mais assuntos urgentes e mais agendas preenchidas até ao final do dia. E no final desse dia, como em tantos outros, encontrar-se-ia com mais uma da sua, já longa, lista de amantes.

E no meio de tantos mais sentia-se completamente vazio. Os enredos da sua vida agrupavam-se em corredores estreitos e planos que convergiam em sentidos demasiado planeados e seguros carenciados de qualquer exaltação desconhecida. Nem as suas conquistas serviam para alentar o vácuo que sentia estar a apoderar-se da sua vida. Os dias passavam por si de forma automática e a sua resposta ao mundo envolvente era praticamente apática.

Estagnou ao lado do carro com o comando na mão ao final de mais um dia desgastante. O seu destino seria o apartamento da sua colega com quem se tinha envolvido no último mês. Analisou o prazer que isso lhe estava a proporcionar e pensou que era apenas mais um caso. Mais um de outros tantos, como tantos outros na sua vida.

Sorriu ao pensar nela, não na colega, mas na mulher que lhe conhecia as qualidades bem como as fraquezas. Na mulher que lhe dava calor e lhe enchia os momentos mais ocos e sombrios. Na mulher que o fazia sentir-se completo e vivo.

Não lhe apetecia estar com a outra, não lhe apetecia apenas o fogo mas antes o calor, não lhe apetecia a sofreguidão mas antes a ternura. Seria nela que procuraria mais uma vez o conforto quente que lhe sustentava a existência do seu intimo e do seu verdadeiro ser. Era tarde, talvez já estivesse a dormir. Não falavam há vários dias pois os desencontros dos seus horários eram cada vez mais frequentes.

Entrou no silêncio da casa, pousou a chaves e inspirou o cheiro familiar de uma casa onde afinal não se sentia vazio. Sorriu e dirigiu-se o quarto na ânsia de se aninhar contra ela. Hoje beijá-la-ia docemente até ela acordar e falariam sobre as suas vidas. Hoje era o dia que queria voltar a encher o seu futuro, o futuro de ambos.

Abriu a porta e olhou em volta. O candeeiro estava aceso…. a cama estava vazia.


Para Fábrica de Letras

11 Diabruras:

sofia disse...

Adorei!

Relações fugazes são fáceis de encontrar, agora as relações de amor, afecto e ternura são um bem precioso!
Bjs, linda!

EU SOU EU disse...

Antes de mais obrigado pela visita...ao meu espaço e obrigado pela resposta...o que pretendia...era que comentassem as minhas respostas e depois ao copiar para os vossos blogs...adicionassem perguntas que gostassem de ver respondidas...mas obrigado na mesma...

anf disse...

Nem li o texto,
obrigada por voltares,

beijo

agora vou ler o texto

Lápis disse...

Excelente!
Dúvidas houvesse, este é sem dúvida um (re)começo em grande :)

MZ disse...

O vazio de tanta coisa consegue ser tanto que chega um momento em é necessário preenchê-lo com o que é realmente necessário para o equilíbrio emocional como o carinho e o afecto.
É urgente chegar a tempo...


(...encontrei-te na 'Fábrica'...)

johnny disse...

Mais um para o reader. Se a ginginha chegou lá, então acho que também cheguei.

Chokkie disse...

Por vezes só mesmo tarde demais damos valor ao que realmente importa, ao que realmente preenche e aí muitas vezes já não vamos a tempo porque o desperdiçamos enganados à procura do imediato que pouco acrescenta.

As saudades que eu tinha de ler estes textos;) kiss

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Gostei do que vi e...

VOLTAREI

AVOGI disse...

A ginástica que tive d fazer para descobrir onde se coloca os comentos?! até já nem sei o que is a dizer, palavra que me esqueci. fica para a próxima entretanto faço-me (per)seguidora e venho com mais calam daqui apouco .kis :)

meldevespas disse...

ás vezes dispersamo-nos, mesmo em coisas pequenas da vida e quando alguma coisa dentro de nós desperta, já é tarde. Gostei deste pequeno conto com tanto lá dentro.
(Welcome back)
Beijo

Natália Augusto disse...

Há relações fugazes muito intensas, cheias de paixão.
Há outras mais duradouras e para a vida. São as alimentadas com amor.

Bela participação!

Parabéns

Enviar um comentário

Agradeço desde já tudo* aquilo que o diabo dentro de ti possa ter para dizer...

*excepto tudo aquilo que o diabo dentro de mim não concordar

Related Posts with Thumbnails