Encontros Casuais - Part XII


 
Sofia percebeu que algo não estava bem quando sentiu Rafael apertá-la contra si ao mesmo tempo que lhe colocava a mão sobre a boca num claro pedido para que permanecesse em silêncio. E foi então que ouviu os passos vindos do interior da casa. Vários passos.
Sentiu-se ser empurrada de novo para o exterior da porta por Rafael mas nesse preciso momento as luzes acenderam-se. Sofia voltou-se e viu um rosto já conhecido.
- O que raio estás a fazer aqui? – Rafael praticamente rosnou as palavras, mas Sofia percebeu-lhe o mesmo alivio que também se apoderara dela.
- Pensei que não estavas cá… não era suposto estares no Porto?
Pedro parecia completamente atónito por vê-lo ali, mas que raio? Aquela era a sua casa! Havia ali qualquer coisa que não fazia sentido nenhum e Rafael queria saber exactamente o quê.
- E de onde é que tiraste a ideia que eu estaria no Porto? – Pedro passou a mão pelo cabelo num movimento  efectivamente nervoso.
Antes que pudesse responder-lhe, uma mulher vestida apenas com uma toalha de banho aproximou-se. Foi então que Rafael, após uma inspecção mais atenta, notou que Pedro estava com a camisa abotoada até meio e completamente descalço.
- Fui eu que lhe disse. Foi a única maneira de o convencer a usarmos a tua casa.

Rafael sentiu-se descrente ante a situação que se lhe afigurava à frente. Ali, na sua própria casa, o seu melhor amigo e a sua ex-mulher.
Honestamente nem sabia o que dizer, o que pensar, apetecia-lhe rir do ridículo que tudo aquilo, fosse lá o que aquilo fosse, lhe parecia.
- Escuta… - Pedro tentou falar, mas neste momento Rafael não lhe apetecia ouvir explicações ou desculpas.
- Acho que o melhor que tens a fazer é saíres o mais depressa possível e levares essa senhora - e quando digo senhora estou a ser o mais politicamente correcto que consigo neste momento - contigo.
- Rafael, deixa-me só… - Pedro tentava a todo o custo desculpar-se
- Porra Pedro… logo tu?! Sai! Sai e leva-a daqui para fora.
Rafael lembrou-se que Sofia se encontrava ali e, sem perceber muito bem porquê, isso fê-lo sentir-se mais seguro e protegido da situação acre com que teria de lidar quer quisesse ou não. Mas não lidaria agora. Quase que reflexivamente apanhou a mão de Sofia com a sua.
- Saiam já! – repetiu.
- Vou só trocar-me se não te importas.

Sofia sentia a tensão de Rafael. Mais do que isso sentia a dor nele. A dor da traição, de mais uma traição. Queria agarrá-lo e protegê-lo mas sabia que não o podia fazer.
Ficaram os dois ali à porta enquanto Pedro e Raquel foram buscar as suas coisas. Nenhum dos dois disse nada. Sentia-lhe a respiração pesada, tal como o ar tenso que do nada se havia formado. Tinha uma expressão falsamente serena ali parado com uma mão dentro do bolso das calças e, não fosse o sentir da outra mão dele a apertar a sua, quase sentiria medo de Rafael.

Após o que pareceu um tempo infindável, Pedro e Raquel regressaram.
- Desculpa. – A palavra saiu num sussurro demasiado envergonhado enquanto Pedro saía pela porta.

Raquel seguiu-o, mas deteve-se antes de transpor a porta. Olhou por cima do ombro para Sofia, num olhar de completo desprezo e desdém
- Não sabia que agora também trazias as tuas putas para casa…
Antes mesmo que algum deles se apercebessem, Rafael lançou uma mão ao pescoço de Raquel e, com uma força demasiado bruta, empurrou-a à porta.
- A única razão porque não te parto já aqui a cara toda é o eu não bater em mulheres. Mas volta a chamar-lhe isso e nem o  facto de não teres tomates te safa.
Raquel soltou-se dele de forma brusca.
- Estás tão enganado acerca da tua companhia! – as palavras saiam-lhe como veneno e Sofia soube, antes mesmo que ela terminasse, o que se seguiria. – O melhor é perguntares-lhe como é que ela te descobriu. – Raquel saiu com apenas aquelas palavras. Palavras que Sofia sabia lhe custariam demasiado caro.

O preço a pagar ainda não sabia exactamente qual seria.
Mas, pela forma como Rafael a olhou, soube que talvez não tivesse forma de o pagar.

*Pic by deviantart

6 Diabruras:

Vera, a Loira disse...

Confesso que agora fiquei ansiosa por a próximo capitulo. Pode ser já amanhã?

Louise disse...

Vera,
Pois mas não pode ser... senão lá se ía rapidamente a história :P

Roxanne disse...

tens noção de que eu já roo as unhas de curiosidade não tens?:)

Vontade de disse...

Ahhh tu sabes espicaçar. :P

Ulisses disse...

...palavras para quê...

A aguardar serenamente...

:)

Louise disse...

Roxanne,
Ora mas a ideia é essa ... :P

Vontade de,
como tu saberás bem... quando somos espicaçadas é quando sabe melhor ;)

Ulisses,
;)

Enviar um comentário

Agradeço desde já tudo* aquilo que o diabo dentro de ti possa ter para dizer...

*excepto tudo aquilo que o diabo dentro de mim não concordar

Related Posts with Thumbnails