Silêncio por favor!

O silêncio incomoda. O silêncio é sinónimo de que algo não está no eixo correcto, de que algo se passa e esse algo é grave. E torna-se imperativo quebrar essa barreira invisível para que as coisas voltem ao seu rumo. Para que a tensão seja quebrada, para que nos voltemos a sentir no nosso meio.
Não, o silêncio não é de todo ansiado. O silêncio transporta-nos aos nossos próprios pensamentos, aos pensamentos gritantes e não menos fastidiosos que nos atormentam e nos fazem dar conta de como somos mesquinhos e insípidos.
O silêncio é para ser quebrado, as palavras devem ser expelidas de forma inóspita e rápida antes que nos sufoquem atravessadas na goela.
E todos os motivos - ainda que sem razões - são desculpas aceitáveis para quebrarmos o silêncio que tanto nos incomoda. Porque nesse silêncio é que não podemos ficar, porque os sentimentos que nos fazem definhar devem e têm de fazer definhar outros que não nós mesmos.

E se ao menos nos sustivéssemos uns momentos no silêncio, poderíamos quiçá constatar que o silêncio é libertador, é apaziguante, é rejuvenescedor. Que sara muito mais do que palavras ensurdecedoras e amargas.

Também eu já fui assim, conhecedora de todas as verdades exactas do universo. Senhora da razão e do ímpeto de proferir exactamente o que os outros mereciam ouvir. Senhora da honestidade directa ainda que cruel, porque comer e calar é que nunca, jamais.

Hoje vejo o mundo à minha volta de forma diferente. Aprendi a embarcar o silêncio quando nada mais me é pedido. Porque eu sempre fui amiga intima dele e porque os demais têm o direito de, também eles, o serem. Aprendi a não regurgitar palavras estéreis e podres apenas para me sentir melhor no imediato – mas nunca mais para além disso.

E sabem que mais? O silêncio só me trouxe felicidade, calma e tranquilidade. Embraço-o de forma leve e solta sabendo que, afinal, o silêncio não é de estanho ou latão, nem tão pouco de cobre ou de prata mas que é mesmo, completa e intrinsecamente, de ouro.

7 Diabruras:

Vera, a Loira disse...

E isso é sinal de crescimento, também eu já cresci e aprendi muitas vezes a ficar em silêncio.

Gostei muito do post.

A Minha Essência disse...

De facto no silêncio conseguimos ter outra percepção de tudo à nossa volta... :)

Sofia disse...

Cada vez gosto mais de silêncio, não gosto é de silêncios...
BJ

Martini Bianco disse...

O silêncio é companheiro e é algo que pelo menos a mim, cada vez mais importante.

Mais do que tentar convencer os outros com a minha opinião, mais que brincar com as palavras, por mais que saiba ou não usá-las nas mais variadas situações, algumas vezes até para me defender, cada vez mais escolho o silêncio como aliado. Até por que a maior parte das pessoas perdeu a capacidade de ouvir os outros, na ânsia de serem ouvidos ou para fazerem prevalecer a sua palavra, mesmo que não tenham nada para dizer, nada para defender.

Ele, o silêncio é crescimento sim, como dizia a Vera.

E hoje não vou ligar para o "creative commons" e vou guardar este texto para mim :)

Louise disse...

Vera, a Loira,
Sim, sem dúvida nenhuma, é uma questão de amadurecimento aprender a tirar partido so silêncio. Thanks.

A Minha Essência,
Nem mais. E por vezes essa perpecpção é bem diferente do que julgávamos.


Sofia,
Não compreendi o que querias dizer com silêncios.

Martini Bianco,
Podes ficar com o texto que eu deixo :P

clara disse...

O silencio pode ser muito bom e muito cumplice. Pena que nem todos o percebam.

Queen of Hearts disse...

Bom post, Lou. Partilho os sentimentos contigo.

Enviar um comentário

Agradeço desde já tudo* aquilo que o diabo dentro de ti possa ter para dizer...

*excepto tudo aquilo que o diabo dentro de mim não concordar

Related Posts with Thumbnails