Primo Moduli - Capitulo 9

(continuação daqui)

Abriu os olhos e tentou lembrar-se de onde estava. Sentiu os braços dele por cima de si e de súbito todas as memórias, ainda frescas, do que se tinha passado há momentos atrás vieram-lhe à mente.
Levantou-se do sofá, com muito cuidado para não o acordar, e dirigiu-se à casa de banho. Tentou não tropeçar em nada na escuridão e rapidamente entrou na divisão. Fechou a porta ao mesmo tempo que acendia a luz e abriu a torneira do lavatório. Passou água fria no rosto para tentar despertar. Não sabia que horas seriam mas ainda era escuro.
Deu por si a olhar-se ao espelho e pensou no que tinha acontecido na sua vida nas últimas horas. Acordara nessa manhã da mesma forma que acordava há tantas outras durante anos da sua vida. O dia tinha decorrido nos trâmites regulares que ditavam a ordem de todos os seus dias, sem excepções. Mas no final de tarde, ao voltar para a casa que tanta felicidade sempre lhe dera, viu a sua vida ser voltada do avesso ao deparar-se com um marido que, afinal, já não a amava.

Sentira-se humilhada, rejeitada e desprezada. E o que fizera ela? Correra para os braços de um homem, do único homem, para o qual não deveria ter corrido. E tinha-se sentido mulher. Amada ao invés de desprezada, querida ao invés de rejeitada e acarinhada ao invés de humilhada.

Mas agora olhava para o seu reflexo e tentava agarrar-se a esses momentos. Não conseguia.
Apesar da paixão quente e do apaziguamento da sua mágoa sentia que tinha cometido um erro. Era o marido que a rejeitara que ela continuava a amar.

Deixou-se cair no chão quando esta súbita certeza tomou posse do seu raciocínio. Apetecia-lhe chorar e gritar, mas não fez nem uma coisa nem outra.
Afinal a culpa, ainda que mais tarde do que imaginara, sempre chegara. E essa culpa começava a contorcer-se dentro de si. Jorge acusara-a injustamente de ter um amante, mas agora já não seria injustamente. Agora ela tinha-o realmente traído com outro homem. Pior do que isso, ela tinha-o traído com o melhor amigo.

Subitamente ergueu-se do chão. Não podia permanecer ali, tinha de se ir embora. Tinha-se deixado cometer um erro que jamais poderia ser revertido mas não iria cometer outro maior e tornar-se amante dele.

Saiu da casa de banho e dirigiu-se à sala o mais quietamente que conseguiu. Pegou nas suas roupas e na mala, arranjou-se o melhor que pode sem o acordar e, sem sequer pensar duas vezes, saiu do apartamento. Desceu as escadas a correr como se pudesse fugir do que se passara nessa noite. Sabia bem que não podia, que jamais conseguiria.

Entrou no carro e finalmente as lágrimas começaram a rolar-lhe pelo rosto. Sentia-se presa, angustiada. Só tinha um único pensamento em mente que a acalmava.

Tinha de ligar a Jorge…

(Continua... Aqui)


(Uma parceria by Louise & Ulisses)

*Pic by Deviantart

11 Diabruras:

Ulisses disse...

Eu por acaso já te disse que estou deliciado com a nossa parceria?

:)

Vera, a Loira disse...

O arrependimento da manhã seguinte...

Gostei, espero o próximo post no Ulisses.

Louise disse...

Ulisses,
Nunca é de mais dizeres ;)
E idém, idém... aspas, aspas.

Vera,
Curiosamente foi um arrependimento que ela não esperava.

Vontade de disse...

Às vezes a razão põe-se na frente... e o arrependimento surge.

MRPereira disse...

O arrependimento pode ser uma faca muito pesada no coração de uma mulher... E de um homem também!

Vou continuar à espera do próximo episódio!

Kiss kiss

Louise disse...

Vontade de,
Acho que neste caso não foi só a razão...

Rafeiro Perfumado disse...

As mulheres, sempre a correrem para onde não deve,. Primeiro deveria ter corrido para o advogado, não o fez. Depois deveria ter corrido para o padre, aposto que não o vai fazer!

Caia disse...

Bom texto... estou a gostar ;)

carpe vitam! disse...

linkaste ao capítulo anterior...

mas isto está a ficar cada vez mais interessante

Louise disse...

Carpe Vitam!,

Por norma quando fazia no post o próximo capitulo ainda não estava feito, daí que pusesse a home page ... ou me enganasse como neste caso :P

De qualquer forma tenho actualizado com os links que me tens deixado - mais não consigo porque não me é possível abrir o blog do Ulisses onde estou para retirar os URLs.

De qualquer forma obrigada :)

carpe vitam! disse...

Na boa! Eu também já dei um toque do outro lado. Sei bem que não é fácil, já o fiz numa história com 43 capítulos. Mas acredita que é importante para quem lê, especialmente quando tem de saltitar entre dois blogues!

Sempre às ordens ;)

Enviar um comentário

Agradeço desde já tudo* aquilo que o diabo dentro de ti possa ter para dizer...

*excepto tudo aquilo que o diabo dentro de mim não concordar

Related Posts with Thumbnails